Resenha: Extraordinário, de R. J. Palacio

capa-extraordinario_frente

Título: Extraordinário

Autora do livro: R. J. Palacio

Tradutor: Rachel Agavino

Editora: Intrínseca

Ano: 2013

Nº de páginas: 320

Nota: 5/5

Toda pessoa deveria ser aplaudida de pé pelo menos uma vez na vida, porque todos nós vencemos o mundo.

Um livro que não me desapontou este ano foi Extraordinário. Depois de ler a sinopse e me encantar com a simplicidade da capa, não resisti e mesmo depois de prometer a mim mesma que leria os títulos ‘em espera’ eu tive que compra-lo e – obviamente – lê-lo.

A edição que comprei/li é a segunda, ou seja, essa da capa azul que coloquei acima, mas de modo algum a capa da primeira versão deixa a desejar, elas se diferenciam basicamente pela cor base, o que a meu ver é uma ótima pedida.

Porquê? Por que deste modo elas representam a ideia do livro, uma história ‘simples’, mas que nem por isso deixa de ser linda.

Isso mesmo, ao falar sobre um menino de apenas dez anos com uma síndrome raríssima que causa deformidade  facial que enfrenta a barra de ir pela primeira vez para a escola, R. J. Palacio não apelou para drama e chororô desnecessário, ela se foca apenas em contar a história, que com toda certeza não precisa desses melindres.

capa-extraordinario_azul

A narrativa de Palacio (sim, é uma mulher, caso você fique em dúvida assim como eu) é agradável e flui bem, fazendo com que você realmente entenda e faça o exercício de se por no lugar de cada personagem que narra,o que diga-se de passagem, merece um merito ainda maior se considerarmos que é sua primeira obra.

O uso da primeira pessoa e a variação de narrador me deixou com sentimentos controvesos, ao mesmo tempo que você consegue captar melhor o ‘lado’ de cada personagem, confesso que me peguei confusa sobre quem estava a narrar. Isso pode ser algo pessoal? Claro que sim. Mas é fato que narrativas em primeira pessoa tendem a gerar complicações desse tipo.

Tirando isto li o livro em pouquíssimo tempo e em nenhum momento o considerei maçante ou tedioso, cada acontecimento, cada passagem é colocada de modo a te conectar verdadeiramente com a história. Os acontecimentos decorrem naturalmente e você acompanha August em diversas fases desse desafio, umas boas, outras nem tanto, e ainda por acontecimentos surpreendentes e outros que você considera que não poderiam ser de outro modo.

extra3

August é um personagem encantador, assim como sua família e amigos, eles nos conquistam e nos fazem torcer por eles. Eles são muito bem construídos e atados a história. Via é de longe minha favorita, provavelmente por narrar a realidade de como ter alguém como August em sua vida pode ser difícil por mais que ela o ame.

É interessante ver como cada relação se constrói e flui, e mais ainda que nem sempre a primeira impressão é a verdadeira, quer você possua uma síndrome rara ou não.

Extraordinário é aquele tipo de livro que te faz pensar e rever seu modo de lidar com as adversidades da vida, e que no final da leitura você se pega grata por ter lido.  E finalmente cedendo a tentação do clichê eu digo que este é verdadeiramente um livro extraordinário.

Referencial de notas:

1- Não gostei; 2- Gostei pouco; 3- Gostei; 4- Gostei bastante; 5-  Adorei.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s