Os Instrumentos Mortais – Cidade dos Ossos

cidade-ossos

O menino nunca mais chorou e nunca mais se esqueceu do que aprendeu:
que amar é destruir e que ser amado é ser destruído.

E mais uma vez eu passo por aqui, galerinha, e dessa vez estou empolgada por falar de um livro que está prendendo totalmente a minha atenção, e olha que é difícil me prender em algo, de verdade.

Como vocês já perceberam pelo título desse post, irei falar de Cidade dos Ossos, o primeiro livro da série Os Instrumentos Mortais, da iraniana Cassandra Clare.

cassandra-clare-premiere-the-mortal-instruments-city-of-bones-02Antes de começar a falar do livro, quero ressaltar um pouco sobre a vida da Cassandra, que me chamou a atenção, é claro. Cassandra, como a maioria de nós, leitores, era ficwriter¹ e passava uma boa parte de seu tempo com seus amigos inventando histórias baseadas em sagas já conhecidas e foi ela a mulher que criou uma polêmica ao anunciar que queimaria os livros de Harry Potter quando descobriu que o mesmo não seria par romântico de Hermione Granger (acho que neste ponto ela está meio que, louca – Romione ever!).

Em contratempo a esta desilusão, Cassandra escreveu uma grande fanfic onde o casal principal era formado por Draco Malfoy e Gina Weasley. A repercussão da história foi tão grande que ela decidiu aprofundar, e a fanfic tornou-se na atualmente conhecida saga Instrumentos Mortais, sendo o primeiro, Cidade dos Ossos, publicado no ano de 2007 (2010 no Brasil).

Agora vou falar sobre o livro, e nossa, estou empolgada para isso (CONTÊM MUITO SPOILER).

Devo admitir que quando comecei a leitura do livro em questão, me decepcionei. Achei tudo muito familiar as histórias atuais que vêm sendo lançadas sem nenhuma cerimônia na minha frente (nada contra, mas não é meu estilo preferido). A protagonista, Clarissa (Clare) Fray me lembrou todas as outras protagonistas que me deixaram um pouco pra baixo: a garota frágil, desajeitada e que precisa que um herói a protegendo durante toda a trama. Eu me enganei.

E ai entra o Jace Wayland, o cara órfão porém forte, decidido, obstinado e que não teme absolutamente nada. O cara intocado e totalmente intocável, cheio de orgulho e amor próprio que massageiam um ego claramente inflado ao ponto de irritar qualquer leitor, porque eu me irritei.

E também não devo m esquecer o Simon Lewis, amigo de infância, e o melhor da vida de Clare, apaixonado pela garota durante os últimos dez anos e vê suas esperanças de um dia conquistar a garota irem decaindo a cada segundo depois da presença do maravilhoso Jace.

cidade-dos-ossosTudo começa em uma danceteria, o Pandemônio, nome sutil, logo após a Clare e sua mãe, Jocelyn, travarem uma discussão na qual a mãe decidiu que as duas iriam se mudar para um outro local, fugindo daquela cidade. Lá, a garota deveria se divertir, mas não o fez: logo de princípio começou a ver umas pessoas estranhas se arrastando entre as mais normais e as seguiu. Um instante depois ela vê o garoto alto, de cabelos dourados e ombros largos desferir um golpe certeiro contra outro que ela imaginava ser um humano, mas era um demônio.

Pronto, Clare se ferra a partir dai.

Logo de princípio ela tenta ajudar o morto, mas era ela que precisava de ajuda. Os três que se juntaram para dar cabo da vida do quarto a olham com espanto por ela conseguir vê-los e ela ainda mais espantada pelo segurança e seu amigo Simon não vê-los também.

Em seguida, sua mãe liga pra ela e pede que ela não voltei para casa, um grito e o que ela faz? O que qualquer um de nós faria: Corre pra casa ver o que acontece com sua mãe. Chegando lá, tudo quebrado, então o Jace a leva para o “instituto” onde os caçadores de sombras se reúnem e ela começa a entender o que acontece com sua vida.

Sua mente foi alterada desde sua infância para que ela crescesse como uma reles mundana, mas quando sua mãe é sequestrada e não pode mais levá-la ao tal feiticeiro, ela começa a recobrar as lembranças muito lentamente.

969771_654979284529989_549924311_nTudo continua, ela precisa encontrar a mãe e para isso descobre que precisa encontrar a Taça Mortal, um dos instrumentos mortais e que tem o poder de transformar um mundano em caçador. Este é o plano de Valentim, um caçador das sombras que decide que todos devem ter este poder, mesmo que para isto muitos venham a morrer.

No meio do caminho eles tem de salvar a vida de Simon que, durante uma festa no submundo, bebe uma poção que o transforma em rato e ele é sequestrado por um vampiro. Na mansão abandonada dos vampiros, totalmente cercados, Clare, Jace e Simon são salvos pelos lobisomens e esta é uma das cenas mais legais ao meu ver.

article-2293560-18AB8E06000005DC-560_634x515Mais para a frente, enquanto Clare relembra as coisas que foi obrigada a esquecer, ela tem uma linda comemoração de aniversário com o Jace, e durante o piquenique de aniversário que ele a propõe, eles se beijam e tudo vai bem até Simon os ver, estão ele vai embora e as coisas tendem a complicar.

Clare descobre através de Hodge, o controlador do instituto dos caçadores, que Valentim na verdade é seu pai. Que sua mãe tinha um filho mais velho e que o mesmo foi morto por Valentim juntamente com seus avós.

Então, Jace é sequestrado por Valentim, com a ajuda de Hodge, que todos pensavam que era realmente bom. Clare recebe a ajuda de Luke, o líder do Clã dos Lobisomens e que a protege por amor a sua mãe, Jocelyn.

13-1Ao encontrar Jace, eles enfrentam Valentim e Clare descobre que ele também é filho de Valentim. Que tudo o que sua mãe acreditava, que seu filho estava morto, havia sido apenas uma maldade de Valentim para que pudesse manter seu filho longe dela, uma traidora.

No fim, Jace não se deixa levar pelas tentações de seu pai e decide ajudar Clare. Valentim entra no portal que o leva para a Cidade de Vidros e eles não conseguem capturar nem a Taça, muito menos Valentim. A sensação de que falharam na missão.

E este é o resumo básico e rápido de Cidade dos Ossos. Minha opinião é que é muito legal. Totalmente diferente dos livros atuais que tenho lido, a história segue um roteiro peculiar. E antes que venham comparar, não tem absolutamente nada a ver com Harry Potter ou demais séries.

Indico a leitura para quem gosta de monstros, demônios, bruxas, vampiros e lobisomens. A escrita é simples, fácil e clara, sem muita enrolação. Cassandra Clare está de parabéns, porque pretendo continuar a leitura e resenhá-los aqui também.

Espero que tenham gostado e que os tenha convencido a iniciar uma nova leitura.

Abraços a todos e até a próxima.

__________

ficwriter¹ : São autores anônimos (ou não) que escrevem histórias que não fazem parte do enredo oficial dos animes, séries, mangás, livros, filmes ou história em quadrinhos a qual faz referência, ou uma história inventada por eles. 

Anúncios

5 comentários sobre “Os Instrumentos Mortais – Cidade dos Ossos

  1. Tati disse:

    Oi Andye!! Olha, vou te dizer que ainda não li o primeiro livro da saga, mas já estava interessada porque uma amiga minha (que possui um gosto literário idêntico ao meu) me disse que o livro era bom. Quando vi o filme me interessei mais ainda porque a história me pareceu interessante e bem dinâmica. Cheia de mistérios e tudo mais… Coisa que eu particularmente adoro em uma saga (fanática por sagas falando aqui o/).
    Enfim, adorei os comentários que fez do livro e agora é mais que certo que preciso ter essa belezinha nas mãos para devorá-lo!!

    • Andye disse:

      Aconteceu o mesmo comigo. Fiquei super interessada depois que vi o filme, mas realmente, o livro é 100% melhor que o filme. Extremamente mais detalhado, além de ser bem diferente do filme. Recomendo mesmo a leitura, de verdade, você não vai se arrepender.

  2. Tem toda razão Andye, fazia algum tempo que estava tentada a ler o livro, desde que tinha assistido ao filme, mas tinha um pouco de medo de que ele fosse apenas mais um besteirol, depois de ler seu post no face sobre o livro acabei criando coragem, graças a minha mui pequena curiosidade, e não me arrependo.
    Ele acabou sendo melhor do que eu esperava e agora já estou no terceiro livro, isso mesmo, li um atras do outro sem tempo pra respirar, na verdade, até mesmo esse eu já terminei! Agradeço ao seu “empurrãozinho”!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s