Entre Orgulho e Divórcios…

Sem Título-1
Jackie Ball é dona da floricultura Flower Power, que entrega rosas vermelhas em enterros e coroas de flores a namorados (Ops, alguma coisa deu errado!). E sabe que encontrar a felicidade não é lá tarefa das mais fáceis (Aliás, uma tarefa um tanto inglória). Então, quando Dan “shortinho colado e sorriso sexy” Lewis entra em sua vida, ela o agarra com unhas e dentes e com o fatídico “sim, eu aceito”. Mas há uma mosca na sopa de Jackie: ela ainda é casada com Henry, o mala do “ex-marido”. Pelo que consta, o casamento deles está morto e enterrado, e agora ela precisa correr para contratar um advogado e se preparar para dar o definitivo pé na bunda. Entretanto… Surpresa! Quando começam a chegar pelo correio os papéis do divórcio, Henry acha que ainda tem contas a acertar com ela… e parece que ele vai fazer de tudo para dificultar as coisas. Não que ele ainda a ame, mas ela o abandonou com um simples bilhetinho de adeus, e agora ele quer porque quer descobrir o verdadeiro motivo!

Não é uma resenha. Já começo dizendo isso. Comprei um livro no fim do mês passado – sem sinopse, nem nada que indicasse sobre o que era realmente – eu só tinha um titulo, que me deixou em dúvida se era de auto-ajuda ou uma romance. ‘O divórcio dos meus sonhos’ foi uma grande surpresa, porque eu nunca havia ouvido falar nem da autora, nem do livro. Foi a capa e os comentários contidos nela que me conquistaram a principio.

A história não é de aujo-ajuda – você não imaginam o quão agradecida fiquei por não ser – é um romance de Clare Dowling, tem 431 páginas, foi lançado em 2011 e como muitos livros do gênero, foi inspirado em algo. A inspiração para o romance de Dowling foi Orgulho e Preconceito, livro escrito por Jane Austen. Encontrei muitas evidências da influência do texto de Austen, em ‘O divorcio dos meus sonhos.

Tem 5 evidências que me fez acreditar na minha teoria de inspiração da autora:

tumblr_m5x0ryefMH1qazm8bo1_5005. Sra. Ball – Em primeiro lugar, o que seria de Orgulho e Preconceito sem a Sra. Bennet perturbando a mente de Elizabeth e dizendo o quão complicado é ter cinco filhas ? A mãe da protagonista, Jackie, diz logo no inicio do livro o quão problemático é ter vários filhos e que a Sra. Bennet estava certa. Acho que isso é exemplificado ao longo do livro com a maneira que a Sra. Ball age, sempre tentando controlar tudo, sempre tentando arrumar tudo e é claro, enlouquecendo suas filhas.

4. Menções ao livro – Talvez seja o menor dos indícios, por incrível que pareça, mas existe3186297577_1_2_HdcrxxuE uma menção sobre o livro Orgulho e Preconceito, além é claro da fala da Sra. Ball. Apesar do livro ser mundialmente famoso, o romance é Irlandês e por isso me pegou de surpresa descobrir que Jackie, a personagem principal do livro, gostava de ler Jane Austen. E reforça mais a ideia do post.

tumblr_moqh5xGNOK1r4grm0o1_5003. A amiga noiva e Sr. Bennet – Duas personagens incríveis de ‘O divórcio dos meus sonhos’ que me lembra algumas personagens de Austen, são  elas: Emma, a melhor amiga de Jackie e  o Sr. Ball, pai da ‘quase-noiva’. Emma tem muitas características de Charlotte e ao mesmo tempo que não tem, Emma parece ter uma aversão por relacionamento – só parece – , mas não quer ficar sozinha. Tem uma queda pelo entregador da Floricultura delas e está entre o momento em que precisa de alguém e não sabe se realmente quer ter alguém. Ela as vezes defende Henry, as vezes o condena, assim como Charlotte quer o melhor para a indecisa Jackie e se mostra uma das personagens mais bem desenvolvidas e racionais da história. O Sr. Ball encarna o perfeito Sr. Bennet, com sua falta de envolvimento com os assuntos da família, o jeito calado e quieto de ser.

2. Um Mr. Darcy  ? – Ok. Pode ser exagero meu, mas Henry me lembra muito Mr. Darcy. Atumblr_m1awtuDXmO1qbiz9ro1_500 maneira como ele é descrito, o jeito de não parecer que gosta de Jackie, mas no fundo gostar muito dela e ainda ser mal compreendido por não saber falar na a ela o que sente. Ele é um perfeito Mr. Darcy, além é claro, de ser um inglês bonitão e que, apesar da aparência, tem sentimentos.

1. O orgulho – No romance de Jane Austen o orgulho é uma das principais personagens,Mr-Darcy-Fan-Art-mr-darcy-34251234-500-280 elas sabe trabalhar com o romance, com os sentimentos e com todo o cenário a sua volta. É claro, é uma história totalmente diferente de O divórcio dos meus sonhos, mas o Orgulho nesse livro também é uma das principais personagens. O livro é recheado de momentos em que o Orgulho vence e que os personagens, que deveriam ao menos tentar lutar por algo, saem prejudicados. Não quero me alongar sobre esse assunto e nem quero comparar os dois livros, queria mostrar mesmo a maneira com que a autora pegou um pouco do mundo de Jane Austen e o moldou em seu livro. Que por sinal, é uma ótima pedida pra quem quer dar boa risadas.

Não é nota, é só um lembrete. O livro é um desses romance mais leves, sem toda aquela grande história que está por trás de Orgulho e Preconceito.  Não é algo para se pensar demais, é clichê – mesmo não querendo lê-los todo o tempo, não posso simplesmente deixar de lê-los – e é doce, é romântico  e é exatamente o que se espera de um romance desse tipo. Não sei se recomendo a vocês, porque achei o final um pouco frustrante, ou se recomendo porque existem alguns personagens que nos prendem realmente nos mostram que nem sempre os personagens principais valem tanto a pena assim. Só sei que eu ri com Emma e Lech, eu gostei de ter tentado entender Michelle e mesmo com o final, gostei de Henry, até me identifiquei um pouco…E, é isso. Por hoje é só, pessoal.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s