Resenha – Lolly Willowes

2014-05-17 14.44.04

Titulo: Lolly Willowes

Autor: Sylvia Townsend Warner

Editora: Bertrand Brasil

Páginas: 194

Nota: 5/5

Comprei um livro, pela capa, pela sinopse e – apesar dos errinhos na sinopse – não me arrependi. Esse livro é Lolly Willowes. O livro é de Sylvia Townsend Warner, pela editora Betrand Brasil – É o segundo livro da editora que compro e contando com a capa maravilhosa, a contracapa e a diagramação, já estou me apaixonando pelos livros da editora.

O livro conta a história de Laura Willowes, uma garota que perde a mãe na infância e até os 29 anos mora com o pai, com quem tem uma ligação muito forte. Tem dois irmãos, Henry e James, os dois são casados e com a morte do pai, tem que morar com Henry, suas esposa Caroline e as filhas do casal.

2014-05-17 14.43.34Laura era acostumada a viver no interior, com o pai, com seus horários e com suas coisas, quando o pai morre, ela se vê em um beco sem saída, tem que morar com a família de seu irmão, tem que deixar a casa que foi seu lar durante 29 anos. É uma grande mudança, para uma moça que não é casada e tem que viver, agora, sob as asas dos irmãos – O livro passa dois séculos, o fim de século 19 e o começo do século 20.

Sua vida muda com a partida e ela então deixa de se chamar Laura, para ser a “Tia Lolly”, que é algo que no começo não a aborrece, é assim que seus sobrinhos a chamam, é assim que as pessoas costumam chamá–la. Ao longo do tempo em que mora com o irmão, Laura não se deixa levar pela vontade que todos tem: Que ela arranje um bom homem e se case.

Mas esse não é o desejo de Laura. Ela não sabe o que quer de verdade, ela esta ali, vivendo por conta de outras pessoas, vivendo simplesmente. Nessa de abdicar da sua própria vida para ajudar a criar as sobrinhas, Laura se vê como Lolly, 20 anos depois, ainda na casa do irmão, como uma tia solteirona que não tem vontade própria, que viaja quando tem que viajar, que ajuda na casa, que não tem um momento para si.

É quando entra em uma loja que vende flores que Laura descobre o que realmente quer. Ela pergunta de onde vem aquelas flores e descobre ser dos arredores Chilterns, então compra um mapa e descobre um pequeno lugar onde ela deseja morar, se chama Great Mop. Esse é o começo da mudança da nova vida dela.

É lá onde ela é arranhada pelo gato e acredita seriamente ser uma bruxa e que está em serviço do Diabo. O livro, apesar de ter pouca ação e, em alguns momentos ser confuso – A sinopse é a grande causadora de boa parte da confusão. – tem uma critica e é muito a frente do seu tempo, pela época que foi lançado.

No final do livro Laura explicita essa critica, diz porque gosta do fato de ser bruxa e de achar que o Diabo a chamou para servi–la – Antes que alguém pergunte, o livro não é uma apologia ao Diabo, ou algo do tipo. Foi a maneira com que a autora conseguiu mostrar uma das esferas da sociedade, algo que ainda, infelizmente nos atinge.

Para Laura, as mulheres, mães, tias, irmãs, primas, todas uma certa hora eram colocadas9788528617252 de lado. Tinham vidas tediosas porque não podiam ser como os homens, não tinham toda a liberdade que eles tinham – e ouso dizer, ainda tem –, as mulheres, assim como ela mesma, tinham que dar satisfação a irmãos, tios, parentes e se anulavam muito pela família.

O que o livro subentende é que, mesmo com a escrita antiga e revolucionária de Warner, nós precisamos de direitos iguais, que nós – mulheres – desde o principio sempre fomos tratadas de maneira diferente, as mulheres conseguem agora um lugar de destaque, mas mesmo assim ainda não existe realmente “direitos iguais” como se prega.

Laura queria ser livro, ter sua própria vida, poder viver em um lugar sossegado sem ter que dar satisfações a ninguém, por isso Warner inventou um romance que se tratasse de uma mulher que não precisava, nem queria um romance. Ela queria viver e queria aprender, descobrir coisas e lugares novos. É isso que a leva a Great Mop, essa descoberta, essa liberdade que não tinha quando morava com o irmão.

O romance, mesmo lançado no século passado, traz a realidade feminina. Fala sobre direitos, fala sobre sonhos, expectativas, sobre como ainda precisamos lutar por direitos iguais e como isso é importante pra gente.

Apesar de ter começado confuso – Sim, eu culpo ainda sinopse, que da a entender que Laura vai para a casa do irmão com 9 anos. – foi um livro que me surpreendeu, não só por falar de um tema polemico para sua época e ainda polemico na nossa, mas por mostrar isso na visão de uma mulher que acreditava ser Bruxa para fugir realmente do mundo que aprisionava as mulheres em padrões e ideias, que Laura Willowes, não mais seguiria.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s