Lançamento: Graham – O Continente Lemúria e entrevista com o autor

10407999_600706790045840_4702512983605378393_nPra quem não sabe ainda, há algum tempo nosso site se tornou parceiro Vinicius Fernandes, autor de Graham – O Continente Lemúria. E é com grande alegria que hoje viemos anunciar o lançamento desta obra.

Escrito sob o Pseudonimo A. Wood, Graham – O Continente Lemúria é uma obra de ficção fantasiosa, cujo público alvo são os apreciadores de literatura fantástica/sobrenatural.

Para todos que não sabem ainda sobre o que o livro trata, a nossa querida Lana aproveitou o momento e fez uma entrevista com Vinicius, que nos conta um pouco sobre si mesmo e suas inspirações para escrever Graham. Acompanhem:

GdVnus: Boa noite. Bem, vamos começar?

Vinicius Fernandes: Estou pronto.

GdVnus: Que autores você costuma ler para se inspirar ?

Vinicius Fernandes: Stephen King me inspira bastante… É um dos meus preferidos.

GdVnus: Algum livro em especial do King ?

Vinicius Fernandes: Não. Ao escrever Graham, eu li um livro chamado “Contos Clássicos de Vampiros”, que tem histórias (algumas bem antigas) sobre vampiros, escritas bem antes de o tema ser explorado como é hoje. Usei esse livro como inspiração e também algumas séries de TV como True Blood e Supernatural.

GdVnus: Quais livros marcaram sua vida ?

Vinicius Fernandes: Hmm… Acho que Harry Potter e o Cálice de Fogo e Harry Potter e a Ordem da Fênix foram bem marcantes pra mim porque até então eu estava acostumado com as histórias um pouco mais infantis, mas quem leu Harry Potter sabe como tudo fica mais sombrio de repente a partir do final do Cálice de Fogo. Achei isso muito legal e acho que fui amadurecendo “literariamente” depois disso. Também tem os livros do André Viando. O primeiro que li dele foi Os Sete. Eles foram bem marcantes porque foi quando comecei a me interessar mais por literatura brasileira. E gostei muito dos livros dele (principalmente “Os Sete” e “Bento”) porque as histórias se passam no Brasil, e é uma realidade bem próxima.

GdVnus: Acho que a Literatura Brasileira está sendo um pouco mais observada agora, até um tempo parecia que estavam esquecendo os livros de autores nacionais, estamos talvez chegando na fase em que os livros brasileiros serão redescobertos, o que você espera desse foco que estão dando agora aos nossos autores ?

Vinicius Fernandes: Eu acho isso muito bacana. Ainda existe um certo preconceito contra autores brasileiros. Eu já vi gente falando que não lê livro brasileiro, que prefere estrangeiros, mas aos poucos isso está mudando. Espero que isso continue mudando para melhor e que os autores nacionais possam ter os créditos que eles merecem, pois tem muita coisa boa sendo produzida e outras já produzidas por escritores brasileiros.

GdVnus: Você escreve à mão ou no computador?

Vinicius Fernandes: Ultimamente tenho escrito direto no computador. Graham foi feito direto no computador. Mas já escrevi dois livros à mão antes de digitá-lo.

GdVnus: Quais foram os livros que você escreveu à mão ?

Vinicius Fernandes: Foram o segundo e o terceiro livros de uma trilogia que eu tenho pronta, mas não publiquei.

GdVnus: Qual é a sua citação preferida?

Vinicius Fernandes: Tem uma coisa que o Stephen King disse uma vez que achei bem interessante. Ele basicamente disse que quando você está escrevendo um livro, chega um momento em que o livro se escreve sozinho. Achei isso bem legal, porque me identifiquei com isso. Você começa escrevendo e no caminho, enquanto você escreve, vão surgindo novas ideias e novos caminhos pelos quais você pode seguir com a história.

GdVnus: De onde veio a inspiração? Como surgiu a ideia do livro?

Vinicius Fernandes: Veio meio que de repente. Eu estava em uma viagem de intercâmbio na Flórida, e eu gostei muito do visual de onde eu estava morando. Era tudo com bastantes árvores e lagos e tal. E o cenário meio que me deu vontade de escrever. E como sempre gostei de histórias com vampiros, resolvi começar uma. Aí pensei num enredo básico e fui começando a escrever um rascunho da história.

GdVnus: O que te levou a escrever um romance gay ?

Vinicius Fernandes: Tentei acrescentar um diferencial para a história. Ainda não vi uma história na qual existe um caçador de vampiros gay. Então resolvi colocar um na minha. E isso deu pano pra muita história também, pois assim pude desenvolver bastante coisa do passado de Peter antes de ele se tornar caçador, contando os problemas de um jovem homossexual comum.

GdVnus: O título é bem misterioso. Dá para explicar um pouco sobre ele para a gente?

Vinicius Fernandes: Vou explicar o máximo que posso sem dar spoilers (risos). Graham é o sobrenome do Peter, o protagonista. Quando ao Continente Lemúria, só posso dizer que Lemúria, assim como Atlantis, foi um continente lendário que talvez tenha existido e afundou no mar. O local, ou o que se originou dele, é de grande importância no livro.

GdVnus: Você teve algum bloqueio, ou conseguiu seguir com o livro sem interrupções?

Vinicius Fernandes: Teve vários dias que eu não conseguia escrever, que não saía muita coisa, por mais que eu tentasse escrever, aí eu tentava ouvir um pouco de música para tentar me ajudar. Para escrever, eu preciso estar calmo, com a cabeça leve e despreocupada, sem ter que pensar em outros problemas senão o livro. Por isso demorei um pouco para terminar o livro.

GdVnus: O que você gosta de ouvir quando escreve ?

Vinicius Fernandes: Para escrever Graham, eu ouvi muito Jason Mraz, as músicas dele são bem gostosas de ouvir. As que eu mais ouvi repetidas vezes foram I’m yours, Mr. Curiosity e I won’t give up. Também escuto Avril Lavigne, que é minha cantora preferida, mas só usei uma música dela enquanto escrevia Graham: Hello Hearache. Inclusive, algumas dessas músicas até se encaixam com algumas cenas do livro. Ah, também ouvi um pouco de Olly Murs.

GdVnus: Você demorou quanto tempo para escrever o livro ?

Vinicius Fernandes: Um pouco mais de um ano. Quase um ano e meio.

GdVnus: Você viveu situações parecidas com suas histórias? Pode citar alguma?

Vinicius Fernandes: Hum, acho que não tem muitas situações parecidas com a minha, exceto algumas das preocupações do Peter, por exemplo, o fato de ele estar na faculdade, preocupado em se formar e conseguir um bom emprego.

GdVnus: Os personagens são baseados em pessoas que você conhece?

Vinicius Fernandes: Alguns. Por exemplo, a Lílian se parece bastante com uma amiga minha. Elas têm uma personalidade parecida.

GdVnus: Qual seu momento favorito no livro (sem spoilers)?

Vinicius Fernandes: Aaah, que pergunta difícil (risos). Deixa eu pensar. Gosto de vários momentos do livro. Os meus preferidos são as cenas do passado de Peter, antes de ele se tornar caçador. Me envolvi tanto na história que me sentia parte daqueles acontecimentos, ficava feliz com as coisas que vinham dando certo na vida dele. Era como se eu estivesse lá no meio junto com os personagens (risos).

GdVnus: Existe uma piadinha sobre escritores serem assassinos e adorarem isso, você confirma o que dizem por ai, vocês adoram matar um personagem ou outro?

Vinicius Fernandes: Ah, eu não gosto de matar personagens. Tinha alguns personagens que estavam destinado a morrer desde o início do livro, para que a história andasse, mas quando fui escrevendo, não imaginei que fosse me apegar tanto a esse personagem em específico, aí quando chegou a cena em que esse personagem morre eu tentei enrolar ao máximo para escrever, foi muito difícil escrevê-la. Não é fácil matar personagens, pelo menos não pra mim.

GdVnus: O que você sentiu quando viu o livro pela primeira vez, quando o tocou e quando notou que seu sonho estava finalmente se realizando?

Vinicius Fernandes: Fiquei muito feliz e com uma sensação de dever realizado. Parecia que estava recebendo um filho (risos). Peguei o livro na mão e pensei “Uau, eu criei isso… uma coisa que estava dentro da minha mente está aqui, fisicamente, nas minhas mãos”.

GdVnus: Deve ser mesmo incrível.

Vinicius Fernandes: É muito bom, mas ainda tem muito trabalho a ser feito (risos).

GdVnus: Então mãos a obra. Você tem outros projetos na cabeça? Quer falar sobre algum deles?

Vinicius Fernandes: São apenas projetos e ideias em minha cabeça, mas estou com algumas outras histórias a serem desenvolvidas. Uma delas já está meio que resumida no papel, agora só falta eu começar a escrever.

GdVnus: Boa sorte com os novos projetos também.

Vinicius Fernandes: Valeu.

GdVnus: Deixe um recado final para o pessoal que acompanha o blog, os incentivando a ler Graham, faça sua propaganda.

Vinicius Fernandes: Eita, vamos tentar (risos). Leiam Graham porque o livro não é só uma história de vampiros e lobisomens. É uma história na qual eu trabalhei muito em cada personagem e pude sentir como se cada um deles tivesse vida e fosse uma pessoa que eu conheci. E todo mundo sabe que uma boa história é aquela na qual os personagens são bem trabalhados. Leiam, pois a história tem romance, aventura, suspense, mistério, sangue (risos). Enfim, espero que a história de Peter Graham os toquem do mesmo modo que me tocou.

É isso ai galerinha de Vênus, não percam o lançamento oficial do livro, que acontecerá no dia oito de agosto, a partir da 18:30, na Livraria Martins Fontes (São Paulo).

10544428_293851897454379_1739210499_n

E pra quem ficou curioso e quer saber mais:

Encontre Graham no Skoob

Curtam a página no Facebook

Sigam o Twitter do livro

Leiam a prévia no Wattpad

E claro, compre seu exemplar!

Compre na livraria Cultura!

Ou compre pra mim! 

E por hoje é isso venusianos! Até a próxima!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s